27.6.08

O fim da segunda temporada

Termina hoje a segunda temporada do Mais Cedo ou Mais Tarde.
Escrevo este texto para agradecer a todos os que nos contactaram propondo temas e protagonistas - aos que viram as propostas aceites e aos que não (a todos tentei responder, explicando, nomeadamente, as dúvidas ou o desinteresse).
Mais de 30% das entrevistas que fiz neste programa* resultaram de propostas dos ouvintes (e incluo nestes os consultores de comunicação, profissionais da sugestão). Penso que se se pode falar em mais-valias deste programa, o facto de haver uma relação a sério com os ouvintes será uma delas.
Se o programa regressar - como espero - em meados de Setembro, não iremos perder esta aposta na interactividade com quem nos ouve. Se possível, vamos mesmo reforçar essa ligação. É uma certeza.

* Cerca de 20% foram sugeridas pelos meus camaradas da TSF, a quem quero também agradecer o interesse pelo conceito do programa.

26.6.08

27 de Junho de 2008

14h-15h: não é por acaso que escolhemos para este último programa (pelo menos desta temporada) um tema daqueles que simbolizam o espírito do Mais Cedo ou Mais Tarde. Já ouviu falar de astrobiologia? Pela construção da palavra pode perceber-se que é o estudo da vida nos astros, fora da terra. O nosso convidado desta hora, Carlos Oliveira, está a tirar o doutoramento com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas e vem explicar-nos o sentido de uma ciência que, dizia-se, não faz sentido porque não há objecto para estudar (a vida fora da terra)... Que vida é essa, onde estará, porque é que é tão difícil de encontrar, eis algumas das perguntas para Carlos Oliveira responder.

15h-16h: outro dos objectivos deste programa foi divulgar gente com histórias para contar, partilhando com os ouvintes histórias tão próximas quanto - por vezes - irreais (ou impossíveis)! O nosso convidado desta hora já visitou 150 países e vai contar-nos o que o move, que memórias guarda e como começou a aventura de viajar. Adriano Silva não é o português mais viajado, mas é certamente o mais desconhecido entre todos os grandes viajantes portugueses do presente. Vamos conhecê-lo e, mais do que isso, descobri-lo.

25.6.08

26 de Junho de 2008

14h-15h: Todos os dias os ouvintes da TSF ouvem falar em João Quadros. «Bruno Nogueira, João Quadros e Mezicles Helin [o sonorizador das crónicas]», «Maria Rueff, João Quadros e João Félix [o sonorizador da TSF]». João Quadros é o autor dos textos e vai estar em directo para nos explicar como escreve, quando escreve e porque é que escreve. Queremos também saber se pensa no actor quando escreve, se há assuntos sobre os quais não escreve e conhecer um pouco do seu percurso.

15h-16h: Há uma semana Portugal era eliminado do Euro 2008, para desilusão de quase todos e desespero de muitos. Uma semana depois, vamos falar das emoções que rodeiam os eventos desportivos, a propósito do livro «Identidade e Emoções em Eventos Desportivos - O Caso Euro 2004», recentemente lançado. Cristina Sousa, um dos coordenadores (juntamente com Jorge Correia Jesuíno), vai estar em estúdio. «A partir de conceitos de áreas como antropologia, sociologia e psicologia, os autores desenvolveram uma argumentação sobre a unificação de Portugal a partir da seleção», situação que se voltou (da mesma forma?) a verificar neste europeu, pelo que a conversa tem ainda mais actualidade (tal como o fenómeno Cristiano Ronaldo).

23.6.08

24 de Junho de 2008

14h-15h: é português o coordenador internacional do Ano Internacional da Astronomia (em 2009). O Ano Internacional da Astronomia é uma iniciativa que está ser promovida a nível mundial pela União Astronómica Internacional com o apoio da UNESCO, e será uma celebração global da astronomia e da sua contribuição para a sociedade e para a cultura, estimulando o interesse a nível mundial não só da astronomia, mas na ciência em geral, com particular incidência nos jovens.
Pedro Russo, que investiga no Instituto Max Planck para a Investigação no Sistema Solar, da Alemanha, e está ligado Centro Multimeios de Espinho, vai estar em directo a partir da Alemanha para nos falar do que pretende ser este Ano Internacional e do seu próprio percurso (e experiência, na organização da iniciativa).

15h-16h: é apresentado como um projecto pioneiro, que pode e deve ser alargado a todo o país. Arrancou na área metropolitana do Porto e chama-se PIAC, Projecto Integrado de Apoio à Comunidade: criado pelo IDT, visa proporcionar a jovens e respectivas famílias apoio na prevenção da toxicodependência. O PIAC foi aprovado em Novembro de 2007 e arrancou a 2 de Janeiro deste ano, envolvendo 26 concelhos do Norte do país (...). Constituído por uma equipa multidisciplinar dependente do delegado regional do Norte do IDT, Avelino Vale Ferreira, e coordenado por Albina Sousa, este serviço já deu mais de 300 consultas [Aberto desde Janeiro, conta já com 461 processos abertos, um número "preocupante"]: de terapia familiar, psiquiatria ou de educação para a saúde. Os utentes são fundamentalmente jovens encaminhados pelos estabelecimentos de ensino, tribunais de menores e organizações não governamentais. Vamos conhecer este projecto partir de dois trabalhos da jornalista Rute Fonseca.

20.6.08

23 de Junho de 2008

14h-15h: «Entre os dias 25 a 28 de Junho de 2008 terá lugar, no Porto, o Congresso Mundial de Hidrologia Médica, evento organizado organizado conjuntamente pela Sociedade Portuguesa de Hidrologia Médica e Climatologia e pela International Society of Medical Hidrology». Hidrologia médica? Podemos falar, também, de termalismo e das vantagens para a saúde, a saúde pela água. Vamos conhecê-las nesta hora, com Pedro Cantista, director clínico das Termas de S. Jorge. Há largos anos envolvido na área do termalismo, é também presidente da Sociedade Portuguesa de Hidrologia Médica (SPHM), presidente da Secção Europeia da Sociedade Mundial de Hidrologia e coordenador do Grupo de Balneologia da União Europeia de Médicos Especialistas.

15h-16h: Já falámos neste espaço de alimentos probióticos, voltamos ao assunto para perceber o que são alimentos funcionais. A jornalista Rute Fonseca falou com especialistas para perceber o que são, com que vantagens mas também as reservas que inspiram (uma vez que são alimentos modificados).

19.6.08

20 de Junho de 2008

14h-15h: O ouvinte que propôs este tema justificou-o assim: «Venho sugerir o tema da Certificação Energética de Edifícios, que é uma espécie de "tsunami" que está prestes a acontecer no mundo da construção civil, dado que a grande maioria dos envolvidos parece estar completamente apático para esta nova realidade». Informei-me um pouco mais sobre esta certificação energética dos edifícios e percebi que os edifícios com mais mais de mil m2 já estão obrigados a essa certificação e que a partir do próximo mês qualquer edifício novo a construir também estará. Daqui a um ano qualquer edificio que seja transacionado (independentemente da idade do mesmo) terá de a ter. Ou seja, se pouco ou nada se fala sobre o assunto (dado o tempo de licenciamento mais o tempo de construção, ainda não chegaram ao mercado os primeiros apartamentos com etiqueta energética), a situação irá mudar significativamente. E vai dizer respeito a todos. Como? Imagine que está a pensar construir uma moradia; se for construída de acordo com as normas da Certificação Energética, tem que ter paineis solares para o aquecimento das águas sanitárias, renovação do ar que garanta a qualidade do ar interior para os seus ocupantes, preocupações com os vidros virados a sul, etc., etc.. Esse etc. será explicado pelo professor Eduardo Maldonado, um dos principais especialistas no assunto em Portugal.

18.6.08

19 de Junho de 2008

14h-15h: se tem um filho recém-nascido já ouviu falar (ou vai ouvir, mais tarde ou mais cedo...) num produto para as cólicas dos bebés chamado Infacol. O que é que este produto tem de especial, além de testemunhos de que funciona? É que não é vendido nas farmácias porque não existe como medicamento registado em Portugal (e na Europa Continental, apenas na Grã-Bretanha e na Irlanda). Ainda assim, como veremos há várias formas de o comprar, sobretudo através da Internet, e há mesmo farmácias que - ilegalmente - o fazem, como detectou o Infarmed.
Nesta hora vamos ter em directo o pediatra Jorge Amil Dias, para nos falar da cólicas dos bebés, do que fazer para as aliviar e deste produto em concreto (que, pelos vistos, alguns pediatras recomendam).

17.6.08

18 de Junho de 2008

15h-16h: Há quem diga que o futuro desta Sociedade de Informação passa por aquilo que muitas vezes é descrito como a "internet dos objectos", onde a internet liga potencialmente qualquer dos objectos quotidianos que nos rodeiam (desde que tenham tags) a outros objectos, contextos e processos de negócio. Essa tecnologia chama-se «RFID, Radio-Frequency IDentification) em inglês que, em português, significa Identificação por Rádio Frequência. Trata-se de um método de identificação automática através de sinais de rádio, recuperando e armazenando dados remotamente através de dispositivos chamados de tags RFID. Uma tag RFID é um pequeno objeto, que pode ser colocado em uma pessoa, animal ou produto. Ele contém chips de silício e antenas que lhe permitem responder aos sinais de rádio enviados por uma base transmissora» (Wikipedia). Com a RFID um livro nunca está fora de sítio numa livraria ou biblioteca e localizar um qualquer produto num hipermercado será quase instantâneo (sendo que as possibilidades são inúmeras). Paulo Coutinho de Castro, da Avery Dennison, e Pedro França, da Creativesystems, ambos com projectos já aplicados nesta área, vão estar em estudio.

16.6.08

17 de Junho de 2008

14-15h: segundo de dois programas dedicados ao fenómeno do Segredo.
Depois de ontem termos ouvido uma psicanalista, hoje vai estar em estúdio um psicólogo.
Fernando Rodrigues é psicólogo, doutorando em Neuropsicologia Clínica, e com espacializações em neuromarketing e programação neurolinguística (PNL), áreas que, de alguma forma, se relacionam com a construção do Segredo (nomeadamente os processos de tomada de decisão).
Vamos conversar com Fernando Rodrigues, tentando saber como encara este fenómeno em concreto e a auto-ajuda em geral (recorde-se que a convidada de ontem foi muito crítica, lembrando a falta de adesão do livro à realidade - valorizando apenas a mente - e o facto de não conseguirmos controlar os nossos pensamentos).

13.6.08

16 de Junho de 2008

14-15h: A propósito da realização da conferência “O Segredo em Portugal”, dia 18 no Pavilhão Atlântico, com aquele que é apresentado como um dos inspiradores do Segredo, Bob Proctor, dedicamos os programas de hoje e de amanhã a visões complementares do Segredo. Hoje convidámos a presidente da Sociedade Portuguesa de Psicanálise, Manuela Fleming, para uma análise deste enorme sucesso que é o Segredo (o livro mais vendido em Portugal em 2007 e um dos mais vendidos em todo o mundo)
Há muitas coisas para tentarmos compreender, a começar por frases com esta, de Bob Proctor: «Posso mostrar-vos como ganhar o dinheir o que precisam, para as coisas que querem, para viver da maneira que preferirem viver»
Amanhã, neste mesmo espaço, estará em directo o psicólogo Fernando Rodrigues.

12.6.08

13 de Junho de 2008

14h-15h: É editada este mês nos Estados Unidos uma antologia intitulada “Fatima Revisited. The Apparition Phenomenon in Ufology, Psychology and Science”, organizada por Joaquim Fernandes, Fernando Fernandes e Raul Berenguel, membros do CTEC – Centro Transdisciplinar de Estudos da Consciência, da Universidade Fernando Pessoa.
«A obra surge como tradução em Inglês do conjunto de trabalhos que resultaram da primeira fase do Projecto MARIAN, coordenado pelo Prof. Joaquim Fernandes, um estudo científico internacional inédito e multidisciplinar de duas dezenas de cientistas e investigadores europeus e americanos, de oito países, incluindo Portugal. Neste trabalho comparam-se as “visões e aparições”, do âmbito religioso, com outras “experiências humanas extraordinárias”, como as de “quase-morte”, “fora do corpo” e “abducção por entidades alinígenas”»
Vamos, pois, falar no fenómeno das Aparições de Fátima, tentando perceber até que ponto é possível discutir estas questões para além dos limites da fé e das leituras religiosas e confessionais. Joaquim Fernandes vai estar em estúdio.

11.6.08

12 de Junho de 2008

14-15h: vamos conhecer nesta hora um curso de mestrado que ensina a fazer empresas (e que de que já resultaram empresas)! O que distingue o MIETE é o facto de apostar claramente «numa combinação inovadora de formação em Tecnologia, Criatividade, Métodos de Desenvolvimento de Produto/Serviço e Gestão, promovendo, sempre que apropriado, a valorização de tecnologias através da construção de estratégias de comercialização e a sua implementação através do licenciamento ou da construção de novos negócios». Ou seja, a universidade ao serviço das empresas. Um dos nossos convidados há algum tempo foi Paulo Santos, da Tomorrow Options, empresa que nasceu do MIETE.
Em estudio vai estar o coordenador do MIETE, João José Pinto Ferreira. A ideia é percebermos o que os distingue, o que já conseguiram e o que esperam conseguir.

6.6.08

9, 10 e 11 de Junho

Não há programa nestes dias (dia 11 é o dia do segundo jogo da selecção).
Voltamos dia 12 de Junho, como sempre, às 14horas.

5.6.08

6 de Junho de 2008

14h-15h: E que tal fazer ginástica sem sair de casa? Ok, pronto, através da televisão isso já é possível, mas a Slife, que se apresenta como «o seu ginásio online», oferece aulas individuais(consultas de personal training em sistema de videoconferência). A Slife é uma experiência nova (tem menos de três meses) e vamos conhecê-la nesta hora, conversando com Rui Castelo, o seu criador. Através da internet, o projecto contempla por exemplo um fórum e uma comunidade online onde podem conhecer pessoas e fazer amigos.

15h-16h: «Os três jovens aventureiros de Viana do Castelo que viajaram até à Guiné-Conacri numa viatura com 21 anos anunciaram hoje, no regresso a casa, que o prometido documentário sobre o djambé estará pronto dentro de um ano». Vamos por partes:
- os três jovens são Armando Santos, de 29 anos, licenciado em Educação Física e Desporto e professor e estudante de percussão africana, Nuno Ribeiro, 26 anos, licenciado em Cinema e Vídeo, e Ricardo Leal, 25 anos e licenciado em Fotografia.
- o carro é um Peugeot 505, 21 anos, 2200cc e 140.000 Kms.
- «Os jovens partiram de Viana do Castelo a 18 de Novembro, rumo à Guiné-Conacri, tendo como grande objectivo a realização de um documentário sobre o djambé, um antigo e tradicional instrumento de percussão cujo som é "arrancado" com as palmas das mãos. Além do documentário, os aventureiros prometem ainda mostrar os resultados e contar as peripécias desta aventura através de uma exposição de fotografia, a edição de um livro, também de fotografia e uma outra obra sobre a viagem propriamente dita». O Ricardo Leal e o Nuno Ribeiro vão estar em estúdio para nos falar (um pouco) de tudo isto.
- Djambé, sabe o qûe é? Tem informação aqui e aqui.

4.6.08

5 de Junho de 2008

14h-15h: hoje é dia mundial do ambiente e escolhemos um ângulo muito particular - mas muito próximo de todos nós - para uma conversa: a necessidade de se começar a reciclar as rolhas de cortiça. Já pensou nisso, que deitamos as rolhas de cortiça para o lixo? Vamos conhecer um projecto da Quercus, que além de recolher e reciclar a cortiça, ainda prevê, com as receitas, «criar 100 novas reservas biológicas, cuidar de 2.000 animais nos centros de recuperação, proteger 50 hectares de zonas húmidas e restaurar 10 quilómetros de rios e ribeiras». Este projecto, chamado Green Cork, está inserido numa ideia mais vasta, a de que o planeta terra é de todos e que todos somos apenas os administradores desse condomínio. Paulo Magalhães, da Quercus, vai estar em directo.

3.6.08

4 de Junho de 2008

14h-15h00: Enófilos há muitos. Ou pelo menos cada vez mais. Mas de enófilo a escanção vai uma grande distância. Estes, sendo uma profissão rara em Portugal, dedicam-se a recomendar vinhos, por exemplo em restaurantes. É de escanções (ou de sommeliers, como são conhecidos internacionalmente) que falamos nesta hora, com um dos mais conhecidos e premiados, Manuel Moreira, gerente de restaurantes conhecidos como o 100Maneiras, em Cascais, Degusto, em Matosinhos e «sommelier» e director de restaurante no Hotel Fortaleza do Guincho de 2002 a 2006 (com uma uma estrela Michelin).
Onde e como se aprende a ser escanção, que exigências e qual é a realidade dos escanções em Portugal são temas para esta conversa, onde também ficaremos a conhecer o seu próprio percurso e experiência.

2.6.08

3 de Junho de 2008

Hoje temos uma emissão especial no espaço Mais cedo ou mais tarde. Das

14h-15h30 [E não até às 16h30, como estava inicialmente previsto) vamos tentar perceber de que é que se morre em Portugal, quer em termos quantitativos quer qualitativos.

Quais são as principais causas de morte mas também aquelas de que se fala menos, a importância relativa de umas (as cardiovasculares) e de outras (por exemplo o suicídio).

Baseámo-nos em números oficiais (de 2005, os últimos disponíveis), mas não fomos apenas ao INE; também confrontámos a Direcção Geral de Saúde ou até o Observatório da Segurança, somámos e dividimos (trabalho da repórter Rute Fonseca, que vamos ouvir ao longo das duas horas e meia).

Em 2005 ainda nasceu mais gente do que aquela que morreu, facto já contrariado pelos primeiros números de 2007. Que consequências, que riscos, o que se pode fazer? Mas também o que mudou nestes últimos anos ao nível das tendências.

Em estúdio vai estar o director geral de Saúde, Francisco George, e a demógrafa Ana ALexandre Fernandes, professora no departamento de Saúde Pública da Faculdade de Ciências Médicas (da Universidade Nova de Lisboa) e investigadora no CESNOVA.

Estas são as principais causas de morte em Portugal:
A maior parte dos portugueses morre devido a doenças, as cardiovasculares estão no topo da lista, provocam a morte a uma média de 100 pessoas por dia - de acordo com os dados mais recentes da DGS e do INE (relativos a 2005).
Na lista das doenças que mais matam em Portugal segue-se o cancro (com 63 óbitos diários) e as doenças relacionadas com o aparelho respiratório (com uma média de 31 mortes por dia, só de pneumonia há 12 mortes diárias).
Mas também são muitos os que perdem a vida na sequência de acidentes, que vão muito além dos de trânsito e de viação. Devido a acidentes em casa e durante os momentos de lazer, em média, por dia quatro portugueses perdem a vida.
Entre as principais causas de morte encontra-se o suicídio, em média 3 pessoas por dia decidem pôr fim à sua vida.
Devido a perturbações mentais e de comportamentos (provocadas pelo consumo de álcool e drogas) há em média dois falecimentos por dia.
Em relação ao número de mortes por homicídio, no ano passado 133 pessoas perderam a vida (de acordo com a Gabinete Coordenador de Segurança) e em 2006 morreram 194 pessoas na sequência destes crimes.