15.4.08

16 de Abril de 2008

14h - 15h: A Economia de Comunhão é um projecto que envolve cerca de 800 empresas dos cinco continentes, que aceitaram dar parte dos seus lucros para ajudar quem vive com dificuldades financeiras. Esta inciativa foi lançada pelo Movimento dos Focolares , um movimento religioso de inspiração cristã, mas que vive o Ecumenismo ( segue preceitos cristãos, budistas, hinduístas, etc). Actualmente tem mais de quatro milhões de seguidores em 182 países. O Movimento dos Folocolares trabalha em áreas que vão desde a cultura (criaram a escola Abba) à economia (com o projecto por uma Economia de Comunhão ). Domenico Casella, responsável pelo Movimento dos Focolares em Portugal, vai ajudar-nos a conhecer as origens, princípios e o trabalho do Movimento e qual a expressão dos Focolares em Portugal.

15h - 16h: Faz agora um ano que entrou em funcionamento o P'ASMA (Programa de Auto-Controlo, Seguimento e Monitorização da Asma), uma aplicação informática que permite ao doente e aos serviços médicos controlarem a evolução da doença (o médico tem acesso ao histórico do doente).
Um ano depois vamos fazer o balanço do P'ASMA. João Fonseca, o responsável por este programa, imunoalergologista e investigador do Serviço de Bioestatística e Informática Médica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto,vai estar na TSF.

16h - 16:30h: O vinho tinto Syrah 2005 produzido pela Casa Ermelinda Freitas foi considerado o melhor tinto do mundo ao vencer o concurso Vinalies Internationales ( em Paris). Estavam em prova 3 mil vinhos de 36 países.
Os vinhos da Casa Ermelinda Freitas já foram distinguidos inúmeras vezes.
Leonor Freitas, a proprietária, vai estar na TSF. Qual o impacto deste prémio e o que distingue os vinhos produzidos na Casa Ermelinda Freitas são alguns dos temas para a conversa.

2 comentários:

Mestre disse...

Com todo o valor que o prémio recebido merece, nunca se deve considerar um prémio como "O melhor do mundo".

Primeiro, porque o juri do concurso não é o melhor do mundo. Segundo, porque não estiveram presentes todos os vinhos do mundo.

Curiosamente, num concurso exclusivo de vinhos Syrah nos Estados Unidos este rótulo ficou em 7º lugar.

No entanto, os meus parabéns à Casa Ermelinda Freitas pelo primeiro lugar neste concurso de elevado prestígio. Os prémios do D. Ermelinda e do Terras do Pó em anos anteriores faziam prever um resultado deste estilo.

jpmeneses disse...

Caro 'mestre': a nossa formulação no blogue e sobretudo a própria entrevista tiveram em conta esta ideia: «O vinho tinto Syrah 2005 produzido pela Casa Ermelinda Freitas foi considerado o melhor tinto do mundo ao vencer o concurso Vinalies Internationales ( em Paris)»; penso que fica claro a distinção é relativa ao prémio em concreto.